Alone in the Dark: Jack Is Back PS1-Review

Alone in the Dark: Jack Is Back PS1-Review

2020-02-07 0 Por Marcos Paulo Vilela

Gráficos não tão bons, controles pra lá de ruins, mas um jogo com uma boa história!

Alone in the Dark 2 é a continuação de 1993 do game de 1992 survival horror Alone in the Dark desenvolvido e publicado por Infogrames como o 2º da série. Ele foi portado para Sega Saturn e para PlayStation em 1996, como Alone in the Dark: Jack is Back na Europa, e rebatizado como Alone in the Dark: One-Eyed Jack’s Revenge na América do Norte, de todo modo irei chamar de jack is back! 🙂 

Embora o Alone in the Dark: Jack Is Back crie o gênero “horror de sobrevivência”, ele nunca recebeu o reconhecimento que merece. Embora os gráficos, controles e fator de gore deste jogo sejam bem inferiores aos do residente Evil em todos os aspectos, ele ainda tem seus méritos e pontos únicos que “podem” tornar o jogo uma experiência totalmente diferente e quem sabe agradável….

 ➡ DETALHES DO GAME:

  • Plataforma: PlayStation
  • Género: Ação Aventura » Sobrevivência
  • Desenvolvedor: I Motion
  • Empresa : Kokopeli Digital Studios
  • Lançamento: agosto de 1996
  • Também conhecido como: Alone In The Dark: One-Eyed Jack’s Revenge na América do Norte
  • Franquia:   Alone In The Dark

Jogabilidade de Alone In the Dark: 8

Este jogo é pesado tanto em quebra-cabeça quanto em ação. Os quebra-cabeças são inovadores e muito desafiadores; você pode passar dias horas ralando para resolver os quebra-cabeças, mas é muito gratificante resolvê-los no final.

Quando se trata de ação, você pode optar por usar seus tiros contra os inimigos ou armas brancas sobre eles e é divertido atacar seu inimigo com a arma mais improvável: uma frigideira! A exploração faz parte deste jogo, embora não haja mapa, felizmente, o layout não é muito confuso, portanto não há muita frustração em saber onde você está.

O combate corpo a corpo não é a única opção para derrotar seus inimigos; você pode evitá-los e, quando estiver jogando como Grace, a evasão é uma obrigação, então você deve descobrir o melhor caminho a seguir para evitar ser descoberto pelos piratas.

Um jogo de terror de sobrevivência não será um se não houver momentos assustadores, certo? Embora Alone in the Dark: Jack Is Back possa não ser tão sangrento quanto o R.E e tão sombrio quanto o Silent Hill, ele tem seus momentos tensos e assustadores. Os piratas do game gostam de se dirigir ao herói antes de lutar com ele, e dizendo de forma assutadora  “Ei, você ai”, o que pode fazer você ter aquele momento de tensão. Se você for observador o suficiente, especialmente no jardim, notará algumas coisas ao fundo bem estranha que logo deixa a gente desconfiado no game!
O tempo de carregamento entre as cenas pré-renderizadas é um negócio “chato pra caralho”, a cada mudança de quadro lá se vem “aquele loanding escroto e demorado”, ave maria, então você prefere não se mover demais por uma área para se poupar da dor de esperar.

Alone in the Dark: Jack Is Back

Alone in the Dark: Jack Is Back, jogo em curso-foto:reprodução

Um pouco da História!

No enredo do game é natal em 1924, três meses após Alone In The Dark. Chamado de “Private Eye Supernatural”, Edward Carnby e seu parceiro de investigação Ted Stryker estão no encalço do sequestro de Grace Saunders. As pistas levam os dois até uma velha mansão chamada “Hell’s Kitchen”: o lar de um chefe gângster muito famoso e da sua gangue de piratas zumbis. Edward então decide pegar a pista quando ele descobre o desaparecimento de Ted na mansão. Infelizmente, Edward logo descobre que Ted está morto.

Carnby finalmente descobre que os mafiosos são as formas corporais dos espíritos dos piratas que saqueavam o mar de anos atrás. Edward deve resgatar Grace, e descobrir por que os piratas tomaram interesse por ela.

Controles: 5

O sistema de controle de R.E provavelmente vem deste jogo, as mesmas coisas, pressione “R1” para mirar e “X” para ação, e esquerda e direita são para rotação, você entendeu, o mesmo cenário estático e o boneco 3D se movendo na área.

No entanto, lembre-se de que este jogo é anterior ao RE, portanto os controles não são tão responsivos, suaves e avançados quanto ele. De fato, o herói corre na mesma velocidade que a velocidade de caminhada de um personagem R.E. Além disso, um dos maiores problemas com o uso de armas de fogo é que não há mira automática e, pior, se você estiver um pouco fora de mira, digamos 2 graus da direção do inimigo, estará gastando sua munição a tôa, não um tiro se quer rsrsrs, enquanto “o inimigo sapeca bala em você” 😀 . Isso torna o uso de armas de fogo muito frustrante, de modo que armas brancas são melhores opções de combate.

Soa 6/10 –

A música é adequada para as configurações do jogo, muda ao longo do percurso, dependendo do fundo. A música combina perfeitamente com o ambiente dos anos 20. Não há muita dublagem, já que você nunca ouvirá o personagem falar em voz alta, a única dublagem vem dos piratas, o que é eficaz em assustar logo no começo, mas isso é tudo, nada impressionante. Os efeitos sonoros são decentes, com os sons padrão dos tiros e os sons dos passos mudando quando se anda com texturas diferentes. Uma queixa menor que tenho neste quesito é que o som acertar o inimigo com armas brancas soa mais como bater em um bloco de madeira em vez de carne.

Gráficos 3/10 –

Na verdade, quando eu comprei meu playstation pela primeira vez, o Alone in the Dark: Jack Is Back foi um dos primeiros jogos que eu joguei e, naquele tempo, eu sentia que os fundos eram tridimensionais e bem renderizados. Mesmo para os padrões de hoje, os cenários ainda são considerados aceitáveis ​​para um jogo de PS, até porque ali estava nascendo o universo 3D do ps e games do gênero. Um problema com o pano de fundo é que é difícil julgar a distância real entre o herói e certos objetos ou lugares, pois há inconsistência na distância traçada em diferentes cenas pré-renderizadas. Os personagens e inimigos são mal renderizados, basicamente se parecem com pedaços de madeira pintados de qualquer forma kkk.

Conclusão: Este é o jogo que você deve joga-lo se estiver pronto para um desafio, porque é muito difícil finalizá-lo. Se você não se importa com os gráficos e controles não tão avançados, poderá aproveitar ele hoje!. 😉 

ASSISTA AO GAMEPLAY DE ALONE IN THE DARK  One-Eyed Jack’s Revenge: