Murdered: Soul Suspect PS4 Review-wisegamer

2022-04-14 0 Por Marcos Paulo Vilela

Murdered: Soul Suspect PS4 Review

 🙂 Murdered: Soul Suspect é um videogame de aventura misteriosa desenvolvido pela Airtight Games e publicado em 2014 pela Square Enix.

Murdered: Soul Suspect passa seus primeiros minutos tentando convencer o jogador de que está lidando com uma produção diferente do habitual, com total sucesso. Um jogo investigativo onde as investigações não podem ser seguidas de tiroteios, brigas ou perseguições de carro, pois o policial em questão é a vítima do crime que deu início aos fatos. 

Sete tiros enviaram Ronan O’Connor para uma espécie de reino intermediário incorpóreo, um limbo onde todas as almas acabam com “negócios inacabados”, claramente a serem resolvidos para prosseguir ao longo do caminho. A ideia é interessante, e o incipit, que traça a vida atormentada do protagonista narrando-a através de suas tatuagens, só cria expectativas para o que se seguirá. 

Infelizmente, ao longo do caminho, Murdered: Soul Suspect falha completamente em valorizar esses fundamentos preciosos: a meio caminho entre a complacência e a preguiça criativa, ele fica sem uma fatia do impulso inicial muito cedo, desperdiçando parcialmente as excelentes premissas.

Murdered: Soul Suspect PS4 Review

Crime e punição

Uma vez que nos conscientizemos de nossa condição particular, no papel de Ronan, teremos apenas um objetivo: descobrir quem é o homem que, com o rosto coberto, primeiro nos jogou pela janela e depois atirou brutalmente no meio da rua. A primeira investigação que enfrentaremos é a de nosso próprio cadáver, através da qual nos familiarizaremos com uma mecânica que nos acompanhará durante todo o jogo. 

Movendo-se na cena do crime, poderemos estudar alguns detalhes, destacados por um ícone correspondente ao botão a ser pressionado, e ouvir os pensamentos do protagonista em relação a eles. O número de pontos de interesse a serem encontrados será sempre evidente graças ao contador na tela e, uma vez encontradas todas as evidências, será necessário escolher aqueles que pareçam úteis para responder à pergunta feita ao início da investigação (“O que o assassino estava procurando?”, “Por que essa pessoa estava aqui?”, e assim por diante). 

A ideia de basear toda a mecânica investigativa na resposta a uma pergunta é de facto interessante, mas já na segunda ou terceira investigação surgirão alguns problemas subjacentes. A primeira está relacionada à coleta de pistas, que nem sempre é clara. Alguns estão à vista, outros estão mais escondidos, e isso é totalmente aceitável. No entanto, acontecerá que algumas “evidências” serão desvendadas através da posse de pessoas que estão naquele momento na cena do crime. 

Estes não podem ser controlados diretamente, mas ainda será possível ouvir seus pensamentos e até condicioná-los, baseando-se nas evidências reunidas até agora para estimular uma determinada memória. Infelizmente, essa mecânica não é totalmente explicada no tutorial, gerando alguns momentos de perplexidade na busca por evidências.

Murdered: Soul Suspect PS4 Review

Às vezes, será possível tentar responder à pergunta antes mesmo de ter acumulado todas as pistas marcadas pelo medidor, mas não se houver uma fundamental entre as que faltam. Consequentemente, em mais de uma ocasião nos encontramos obsessivamente vasculhando cenas de crime em busca daquela última pista necessária para continuar, testemunhando um equilíbrio imperfeito do elemento investigativo. 

A isso se soma uma mecânica dedutiva que nem sempre é lúcida: uma vez reunidos todos os elementos úteis, caberá ao jogador selecionar os dois ou três que possam responder à pergunta. Infelizmente, devido a uma escrita por vezes vaga, a escolha nem sempre é óbvia. Além disso, erros repetidos não levarão a quaisquer consequências negativas, simplesmente diminuindo a “pontuação” final atribuída à pesquisa (de um para três selos). 

O fato de não haver recompensas de nenhum tipo pela correta conclusão das investigações (nem mesmo na forma de Troféus, na versão PS4 que jogamos) torna a habilidade dedutiva do jogador completamente marginal. Nem todas as investigações apresentam esse tipo de problema, e em alguns, o mergulho realmente funciona, mas ainda é lamentável ver cuidados flutuantes na embalagem das cenas de crime.

“Infelizmente, devido a uma escrita por vezes vaga, as escolhas dedutivas nem sempre são claras”

Por outro lado, a maneira como os desenvolvedores queriam fazer a suspensão de Ronan no limbo, que pode se mover livremente nos cenários, atravessando móveis, paredes e seres humanos aparentemente sem fronteiras, convence. Na realidade, como logo se descobrirá, alguns lugares da vila de Salem foram abençoados no passado, durante a caça às bruxas do século XVII, e isso às vezes limita muito evidentemente as oportunidades exploratórias. 

Se nada mais, sendo um jogo linear e investigativo, onde é necessário focar em áreas muito pequenas em busca de pistas, não sentimos essa limitação de forma negativa, apreciando ao invés o bom trabalho realizado na conceituação de temas certamente não fácil de visualizar, como a natureza desencarnada do protagonista.

Murdered: Soul Suspect PS4 Review

Murdered: Soul Suspect basicamente procede de investigação em investigação, intercalando momentos investigativos com fases exploratórias que exigem que o jogador chegue a um determinado local da cidade, muitas vezes pontilhado de obstáculos. Às vezes, para superar o último, será necessário enfrentar sequências furtivas reais, onde Ronan deve evitar ser notado por vários demônios patrulhando uma área. 

Nessas situações, ele será ajudado pela presença de vestígios residuais de outras almas, que lhe permitirão se esconder temporariamente da visão dos demônios, passando rapidamente de um para o outro. Caberá ao jogador decidir se simplesmente contorna as criaturas malignas, talvez distraindo-as com a intervenção providencial de corvos prontos para perturbá-los, ou eliminá-los um por um, pegando-os por trás e completando um evento de tempo relâmpago.

Ao longo da primeira parte do jogo, essas sequências não reservarão desafios particulares, mas no final elas se tornarão um pouco mais desafiadoras. Se nada mais, provavelmente conscientes de sua natureza um pouco “leve demais”, os desenvolvedores não abusaram deles, limitando-se a colocar um punhado deles no decorrer da trama.

eu vejo pessoas mortas

Murdered: Soul Suspect PS4 Review

A única variação da fórmula descrita até agora é representada pelo encontro com Joy, uma garota envolvida no assassinato de Ronan (e nos muitos outros que estão perturbando a tranquilidade de Salem), que logo se revela uma médium, única vivendo ser capaz de ver e se comunicar conosco. 

Além de acompanhar Ronan durante as fases investigativas, Joy se tornará protagonista de alguns momentos exploratórios. Aqui nos encontraremos ajudando-a a esgueirar-se despercebida em estruturas supervisionadas, como um hospital ou a delegacia de polícia, distraindo os guardas com nossa capacidade de “enfeitiçar” alguns objetos comumente usados.

“É importante não esperar um nível notável de desafio de Murdered: Soul Suspect.”

Enlouquecendo uma impressora ou um telefone tocando, podemos, portanto, permitir que Joy passe despercebida. Por sua vez, a garota poderá nos “transportar”, por meio de possessão, por áreas proibidas a Ronan. Embora inspiradas em termos de conceituação, essas fases muitas vezes se perdem em excessiva linearidade. Muito raramente você terá que trabalhar duro para encontrar a direção certa, pois os indicadores na tela sempre deixarão muito claro qual é o próximo passo. 

O mesmo pode ser dito das sequências ocasionais em que Ronan pode possuir um gato, explorando sua agilidade para alcançar áreas de outra forma impossíveis. Como ficou claro, é importante não esperar de Murdered: Soul Suspectum nível notável de desafio. Com a única e marginal exceção representada pelas últimas fases furtivas , o resto do jogo não exige um empenho particular, aproximando a fruição da televisão ou do cinema, com uma piscadela decisiva para as obras de David Cage, de Chuva Pesada para Além: Duas Almas. 

Justamente por isso, também é importante, em nossa opinião, evitar encarar o jogo de frente e enfrentá-lo em uma única sessão. Dada a natureza particular do contexto, é melhor abordar uma investigação de cada vez, procedendo como faria com os episódios de uma série de TV.

Murdered: Soul Suspect PS4 Review

Embora a fórmula básica não mude ao longo do curso, Murdered: Soul Suspectoferece diferentes formas de entretenimento da trama. Entre uma investigação e outra, o jogador poderá vagar mais ou menos livremente pela cidade de Salem e resolver um punhado de investigações secundárias, muitas vezes ligadas, de uma forma ou de outra, à trama. 

Há também um grande número de colecionáveis ​​espalhados por todo o lugar, alguns dos quais são capazes de desbloquear oito histórias relacionadas à cidade e seu passado sombrio do final de 1600, conhecido devido aos julgamentos de feitiçaria. Outros nos permitirão saber mais sobre a história de Ronan, contada através dos diários de seu falecido parceiro, de seus colegas policiais e da própria Salem. 

Descobrir todos esses elementos secundários é uma experiência interessante, desde, é claro, que você tenha sido capturado pelo pano de fundo narrativo que abrange as investigações de Ronan. Este é um valor agregado significativo também do ponto de vista da longevidade: se as investigações dedicadas à trama não demorarem mais de 6/7 horas para serem concluídas, as secundárias e as histórias de Salem podem aproximar o total de 10.

Relativamente à qualidade geral do roteiro, não entraremos em detalhes para não estragar as reviravoltas, limitando-nos a afirmar que o trabalho realizado nos personagens se destaca, enquanto o enredo se sustenta integralmente apenas no primeiro tempo, mantendo o jogador adequadamente na corda. 

A partir de um certo ponto, porém, acaba por saber um pouco demais já visto, com particular referência às etapas finais. Não deve ser subestimado, no entanto, os diálogos que é possível ter com algumas almas encontradas pelo caminho, que estão substancialmente na mesma condição de Ronan. Nestas (muitas vezes tristes) histórias de amores inacabados, stalkers e assassinos em série escondem-se algumas das notas mais bem sucedidas de todo o guião, por isso convidamos a quem decidir entrar nesta aventura a não perdê-las.

Murdered: Soul Suspect PS4 Review

Do ponto de vista gráfico, o Unreal Engine 3 se propõe com seus pontos fortes habituais e as deficiências agora conhecidas. No geral, a versão do Playstation 4 que testamos mostrou uma renderização mais próxima dos estágios finais da última geração do que do início da nova. 

Além do filtro anti-aliasing discretamente implementado e uma parte das texturas em boa resolução, nada que a velha guarda da Sony e da Microsoft não consiga administrar e, portanto, embora não tenhamos conseguido experimentá-los, confiamos nas versões de geração antiga mais do que agradável. 

Uma discussão separada para o design, que começa com um Ronan O’Connor em estilo totalmente cozido, ladeado por um Salem que combina moderno e gótico, graças à capacidade do protagonista de ver parte da arquitetura que remonta à época da caça às bruxas. 

Um estilo que atinge desde o início e se mantém até o fim. Infelizmente, o design de alguns personagens secundários é menos preciso, pouco convincente e certamente não ajudado por animações faciais e corporais que não são exatamente vanguardistas. Na frente de áudio, as faixas são mais que discretas, mas são apresentadas em uma variedade bastante concisa, enquanto a dublagem totalmente em italiano é apreciada, caracterizada por uma predominância de vozes convincentes.